Osteopatia

 
 
 

Osteopatia

 

 
A Osteopatia foi fundada no final do século XIX pelo Cirurgião Americano Andrew Taylor Still, após considerar a Medicina Convencional limitada.

Progressivamente, a Medicina Osteopática foi ganhando importância nos E.U.A e no Reino Unido, tendo sido reconhecida oficialmente em 1940 pela American Medical Association e em 1993 pelo Parlamento Inglês.

A Osteopatia é uma Medicina Complementar com grande aceitação no estrangeiro, sendo os seus tratamentos comparticipados pelos respectivos Sistemas Nacionais de Saúde.
 
 
 
 

Técnicas

 

 
O Osteopata, após obter uma detalhada história clínica, observa detalhadamente as alterações físicas que o doente apresenta e, com o apoio de testes específicos, decide qual o tratamento adequado.

Para uma melhor compreensão do estado de saúde do doente, o Osteopata necessita de interpretar os exames complementares de diagnóstico, como RX, RAC, Ressonâncias Mangnéticas ou Análises Clínicas.

As técnicas mais frequentemente utilizadas são:

Manipulação da coluna vertebral e das restantes articulações | “Dry Needling” - técnica de acupuntura usada por osteopatas em patologias específicas

Os tratamentos são efetuados num curto espaço de tempo com óptimos resultados, sendo em média necessários quatro a cinco tratamentos.

 
 
 
 
 
 
 
 

Patologias

 

 
As patologias mais frequentemente tratadas são:

Cervicalgias e Torcicolos | Lombalgias pós esforço e do motorista | Lombalgias e dorsalgias da grávida | Ombro doloroso | Enxaquecas e Cefaleias de Tensão | Cotovelo do tenista e do golfista | Lesões repetitivas de esforço (punho da dactilografa, tendinites, etc.)